A marca de utensílios de cozinha que quer que você se sinta melhor

Vender utensílios de cozinha não tem nada a ver com a venda de outros móveis domésticos. 

A cozinha é um local muito especial para o cliente, que procura o alinhamento perfeito destes jogadores: distribuição de espaços, funcionalidade, materiais, eletrodomésticos, tendências e orçamento. 

Nestes tempos difíceis, você estará mais interessado do que nunca em conhecer os segredos para a tomada de decisões do cliente.

Alguns clientes visualizam claramente a cozinha que desejam, procurando site de panelas desde o começo e outros esperam que um profissional os ajude a moldar o novo espaço. 

Em ambos os casos, o profissional de móveis de cozinha precisa sentar-se com esses compradores e ouvir para entender totalmente suas necessidades, aspirações e gostos. 

E para estar preparado na hora certa, é conveniente conhecer o mercado e os hábitos de compra com antecedência.

1. Como os clientes se inspiram e onde compram?

O que é que leva uma pessoa, um casal ou uma família a reformar a cozinha? 

Os motivos principais são três: os clientes estão fartos da sua cozinha antiga (26%), compraram uma casa e pretendem adaptá-la às suas necessidades (20%) ou simplesmente desejam modernizar a cozinha (19%).

O vendedor deve sempre ter em mente que a tomada de decisão pode levar semanas ou meses. 

Neste momento, o que os clientes apreciam no vendedor é que ele os aconselha com base nas suas necessidades e não que não os pressione a comprar. 

Nesse período de maturidade das compras, os clientes buscam inspiração e informações. Onde? Não há surpresas sobre a importância crescente da Internet:

  • internet – 59%
  • lojas / distribuidores especializados – 43%
  • profissionais – 20%
  • conhecidos e amigos – 10%
  • 89% das compras são feitas em lojas físicas

A Internet é o lugar ideal, por comodidade, para buscar inspiração e informações. Mas a venda final não acontece aqui (apenas 6%), mas nas lojas físicas (89%). 

Isso ocorre independentemente do orçamento administrado para a reforma. 

2. O que os clientes mais valorizam?

Está na moda cozinhar e prestamos mais atenção à comida. Em nossas casas, as cozinhas ganharam relevância e não são mais aquelas salas escuras relegadas ao fim do corredor. 

As residências urbanas estão ficando cada vez menores devido ao aumento dos preços dos terrenos, as cozinhas abertas que são integradas à sala de jantar ou de estar se tornaram populares. É uma forma prática de obter espaços maiores e mais luminosos.

Ter uma cozinha aberta implica que esta esteja mais integrada na vida familiar e que a escolha dos materiais, cores e eletrodomésticos seja mais criteriosa porque estes elementos estarão continuamente visíveis para todos.

Funcionalidade antes de mais nada

Existem cinco aspectos que os compradores mais valorizam ao escolher uma cozinha, e o primeiro deles é a funcionalidade. 

Não esqueçamos que a cozinha é principalmente uma área de trabalho onde se concentram dezenas de tarefas: armazenar e manusear alimentos, cozinhar, aquecer, esfregar, lavar, etc.

Para além da funcionalidade, os clientes valorizam mais quatro aspetos para optar por uma cozinha ou outra: o aconselhamento do profissional, a eficiência energética dos eletrodomésticos, o preço e a garantia e serviço pós-venda. 

Na tomada de decisão, a marca do fabricante ganha peso, outro fator que o cliente leva em consideração. A importância desses aspectos corresponde ao que você pensou?